5 dicas de como brincar ao ar livre

Hoje é o dia mundial do meio ambiente, uma ótima oportunidade de pensarmos como estamos influenciando a relação das nossas crianças com a natureza.
As crianças nascem com uma tendência natural de afinidade e afeição pela natureza e a medida que crescem e passam a maior parte das suas vidas entre paredes e imersas na “cultura da limpeza”, a afeição natural é aos poucos substituída pela indiferença transmitida culturalmente.
Nós educadores (pais, tios, avós, professores, pedagogos, etc), se quisermos que nossas crianças se transformem em adultos que respeitem e cuidem do meio ambiente, precisamos reinventar os tempos na nossa rotina de maneira que as crianças possam manter e alimentar os elos que as afirma como seres orgânicos e que formam a base do respeito e o zelo com o mundo natural.
Assistir vídeos, fazer cartazes com frases bonitas, recortar gravuras de paisagens de revista, cantar músicas e encenar teatros, são boas iniciativas. Contudo, só o contato direto da criança com os elementos naturais irão fortalecer a sua ligação profunda com a natureza.
A criança precisa encantar-se com a beleza do dia, observar as nuvens dançando no céu, brincar na chuva, subir em árvores, comer fruta tirada do pé, ouvir os passarinhos cantando, seguir as trilhas de formigas, descobrir um mundo de bichinhos debaixo das pedras, apertar os olhos por causa da luz do sol, espremer o cabelo molhado da chuva.
Nós adultos precisamos superar a “cultura da limpeza” que relaciona os elementos do mundo natural à sujeira, à doença, ao perigo e incentivar as crianças a usarem os seus sentidos com liberdade. Vamos permitir que elas sintam a água, pisem no barro, rolem na grama, corram ao vento, cheirem as flores, ouçam o estalar das folhas secas sob os pés.
Precisamos desemparedar as crianças e incentivar o brincar livre ao ar livre!
Bora, lá pra fora?

Dicas de como brincar ao ar livre

1. Esqueça o relógio e o celular
Deixe o relógio e o celular em casa. Saia para passear e entre no tempo da criança. Dê a vocês tempo para se maravilharem com a natureza. Deixe a criança parar onde quiser e por quanto tempo precisar. Deixe-a investigar, conhecer, construir conceitos. Para isso ela precisa de tranquilidade e aceitação. Aceite, participe e reaprenda a olhar de verdade e curiosidade.

2. Não simplifique, explique!
Responda às questões que forem levantadas da maneira mais correta que for capaz. Não simplifique termos. Explique com naturalidade como o mundo que a rodeia funciona. Conte onde as formigas organizadas em filas estão levando aqueles pedacinhos de folhas. Pare para ouvir o canto de pássaro e investigar a existência de ninhos. Acompanhe o voo da borboleta e explique porque estão pousadas nas flores. Apanhe pedras e pedriscos , compare tamanhos e formas. Cheire flores, pegue na terra, sente-se na grama, suba em árvores, observe os formatos das nuvens no céu. Aprenda com a criança a riqueza do simples.

3.  Use a natureza como brinquedo!
Deixe a criança se balançar na árvore, construir castelos de areia, cavar a terra, soltar pipa ao vento(vale printkóptero, também!). Para a criança a brincadeira surge na natureza com naturalidade.

4.Trate todos os animais com naturalidade e respeito
Nada de sair matando formigas e atacando mosquitos durante o passeio. Segure o medo e aja naturalmente frente a uma lagarta ou uma abelha. Insetos têm funções importantes no ciclo da natureza. Ensinar isso para as crianças as faz entender que não é preciso ser bonito e fofinho para ser relevante no ecossistema. E a melhor forma de fazer isso é dando o exemplo!

5. Permita que as crianças levem “tesouros” para casa
Um graveto no formato divertido, uma folha seca bonita, uma flor caída no chão (não vale arrancar as florzinhas!), pedrinhas brilhantes ou uma conchinha da praia são verdadeiros tesouros naturais para as crianças. Deixe-as coletar e levar para casa! Separe um local onde ela possa colocar os seus tesouros após voltar dos passeios. Assim você poderá vê-la relembrando o passeio ao criar artes e brincadeiras a partir das preciosidades

Bônus!
6. Vivencie os dias chuvosos
Saia para passear em dias chuvosos também! Para ver a chuva molhando a terra, plantas, criando enxurrada e poças. Deixe a criança experenciar a chuva, tocando nas plantas molhadas, colocando barquinhos de folha seca na enxurrada, pulando as poças ou nas poças e tomando um belo banho de chuva. Não são só os dias de sol que têm valor e é importante que a criança entenda que a chuva, apesar de causar um pouco de transtorno na rotina dos adultos (como adulto reclama, né?!), é essencial para manter a vida no nosso planeta.
Você pode aproveitar para desatar os seus nós da vida adulta e também se entregar ao banho de chuva! Será um momento libertador para você e para as crianças.
7.Traga a natureza para dentro de casa!
Garanta uma boa dose de contato diário com a natureza, trazendo-a para dentro de casa. Permita que a criança acompanhe sementes nascendo, crescendo, florindo e dando frutos, assim ela terá contato direto com o ciclo da natural da vida . Que tal começar uma mini horta por aí? Temperos como salsinha, cebolinha e alguns chás, cabem em qualquer lugar e não são difíceis de cuidar. Ensine as crianças a regar as plantas, chame para ver quando uma muda surgir e incentive-a a acompanhar o crescimento e o desenvolvimento de cada uma e ao se alimentar das plantas cultivadas a criança entenderá o quanto nossa vida depende desse ciclo.

This entry was posted in -. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *